+ PINHÃO - Gestão integrada de agentes bióticos associados à perda de produção do pinhão

Image

 

Designação do Projeto | + PINHÃO - Gestão integrada de agentes bióticos associados à perda de produção do pinhão

Código do Projeto | PDR2020-101-031189

Objetivo Principal | Desenvolver processos de diagnóstico e monitorização que permitam determinar o impacte de pragas na produção de pinhas e pinhão, com destaque para o sugador das pinhas (Leptoglossus occidentalis)

Região de Intervenção | Portugal

Entidade Beneficiária | UNAC - União da Floresta Mediterrânica

Parceiros

  • Instituto Superior de Agronomia (Líder de projecto)
  • Anta de Cima – Sociedade Agrícola, Unipessoal Lda.
  • Companhia das Lezírias, S.A.
  • Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
  • Florgénese – Produtos e Serviços para a Agricultura e Florestas Unipessoal Lda.
  • Herdade da Abegoaria – Sociedade Agrícola Lda.
  • ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas I.P.
  • INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária I.P.
  • Pedro Miguel Belo Ramos Courinha Martins
  • Pedro Sacadura Teixeira Cabral Duarte da Silveira
  • Sociedade Agrícola Monte da Sé Lda.
  • Viveiros da Herdade da Comporta – Produção de Plantas Ornamentais Lda.

Data de Aprovação | 2017/12/06

Data de Início | 2018/02/01

Data de Conclusão | 2021/12/31

Custo Total Elegível | 63 104,54 €

Apoio Financeiro da União Europeia | 40 956,27 €

Apoio Financeiro Público Nacional | 6 372,15 €

Resultados esperados

  • Caracterização a nível regional dos ciclos de produção da pinha e dos padrões de evolução temporal;
  • Quantificação dos estragos e prejuízos causados por L. occidentalis e outras pragas com implicações na perda de pinha e pinhão, visando determinar níveis económicos de ataque nos processos de gestão integrada;
  • Identificação dos estádios fenológicos em risco e definição dos estádios fenológicos da planta a proteger por medidas preventivas ou de controlo;
  • Identificação de potenciais agentes bióticos auxiliares no controlo de L. occidentalis;
  • Estratégias de prevenção da transmissão de doenças por L. occidentalis;
  • Desenvolvimento de armadilhas para monitorização e captura de L. occidentalis e Dioryctriamendacella com potencial interesse em estratégias de controlo;
  • Estratégias de silvicultura preventiva e de boas práticas adequadas à prevenção de agentes bióticos;
  • Sistema de Avisos contra Agentes Bióticos Nocivos das pinhas – SAFEPINEA.

Resultados obtidos

  • Os resultados preliminares da avaliação da micoflora em pinhas maduras e imaturas, permite revelar que os fungos das espécies Diplodia sapinea e Sydowia polyspora, causadores de doença em pinheiro manso, foram os que apresentaram maior frequência de ocorrência em pinhas maturas. Já nas pinhas imaturas as análises revelaram que o fungo Sydowia polyspora foi o que apresentou maior frequência de ocorrência, sendo a ocorrência de Diplodia sapinea muito baixa nestas pinhas. Apesar de ainda serem preliminares, estes resultados apontam para que a infeção por Sydowia possa dar-se muito mais cedo no ciclo fenológico do pinheiro manso. Porém só após a conclusão dos ensaios pode ser avaliada a dinâmica do estabelecimento destas doenças que afetam o desenvolvimento da pinha.

Divulgação

           EVENTOS

           PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS

           PUBLICAÇÕES TÉCNICAS

Image
© 2018 UNAC. All Rights Reserved. Powered By Agri-Ciência
Image

Search